O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Os problemas da Copa das Confederações e os possíveis problemas da Copa do Mundo

Terminada a Copa das Confederações as atenções já estão voltadas para a Copa do Mundo, inclusive no mês que vem começam as vendas dos ingressos, mas antes de começar as vendas dá para fazer um balanço do que funcionou e o que precisa melhorar para a copa no ano que vem.

Assisti aos jogos em Brasília e Belo Horizonte e no quesito acesso e saída do estádio Brasília se mostrou Continue lendo

Diário da Copa das Confederações: Brasil x Uruguai

Em Belo Horizonte pela terceira vez, mas dessa vez para assistir um bom jogo e com muitas pessoas vindo de outros estados, já deu para perceber a desorganização logo no início. Troquei minha passagem às 11h30 e fui informado que o horário mais próximo seria às 13h. Com a passagem para às 13h, resolvi ir até o local de partida dos ônibus e o ônibus que iria sair meio-dia estava praticamente vazio e perguntei ao motorista se era possível embarcar naquele ônibus e ele me informou que já havia fila de espera.

Ao meio-dia ele fez a contagem dos passageiros e havia mais de 20 poltronas vazias e consegui embarcar nesse ônibus. Não entendi qual é a dificuldade da empresa em reservar o número de passagens de acordo com o número de poltronas e quando atingir esse número começar a imprimir passagens para o próximo horário.

20130626_175747

O trajeto até o Mineirão foi relativamente tranquilo. Somente em um determinado ponto da rodovia que vai até Belo Horizonte, uma manifestação estava começando a se formar, mas como o número de pessoas ainda era pequeno deu para o ônibus passar.

Dessa vez o ônibus parou dentro da área bloqueada pela polícia e a distância para o Mineirão foi menos de 1Km. Perguntei para uma voluntária se o embarque ao término do jogo não seria alterado devido as manifestações e ela disse que dessa vez não seria porque a polícia tinha cercado a área e dessa vez não deixaria os manifestantes passarem.

Com os vários locais de aceso, a entrada ocorreu normalmente e não tinha filas para entrar no estádio. Dentro do estádio um pouco antes da partida começar e durante a partida, Galvão Bueno foi “homenageado” por todo o estádio.

20130626_155759

Na saída do estádio, a mesma confusão do jogo anterior. Uma saída foi fechada e mandaram todos os torcedores saírem pelo lado sul. Além da caminhada pela esplanada ser longa, aproximadamente 15 minutos, pois é preciso dar meia volta em torno do estádio a saída estava completamente lotada e aí começou as várias informações para se chegar até o local de saída dos ônibus para o aeroporto. Um voluntário disse que os ônibus estariam estacionados próximo a saída. Como não tinha nenhum ônibus próximo a saída, perguntei a outra voluntária e ela disse que tinha que descer a rua e virar a direita. Fui descendo até chegar em uma praça e uma voluntária disse que os ônibus sairiam daquele lugar e encontrei até uma fila formada no local e isso eram 18h30.

20130626_161647

O tempo foi passando e a cada momento a voluntária dizia uma coisa diferente. Em um momento era a manifestação que estava impedindo a passagem dos ônibus, em outro era que os ônibus tinham conseguido passar pela manifestação e já estavam chegando. Após uma hora o pessoal começou a se exaltar porque alguns tinham voo às 21h e naquele momento eram 19h30. Só nesse momento é que apareceu um ônibus coletivo e todos que estavam lá embarcaram achando que aquele ônibus iria para Confins, mas o ônibus nos levou até o ponto onde havia sido marcado quando chegamos ao Mineirão.

Todo esse problema foi causado porque a empresa que fazia o transporte tinha um acordo ou com a prefeitura de BH ou com o governo de MG. Então eles tiravam uma cópia do ingresso, davam a passagem de graça e depois eram reembolsados. Como não tinha outra van para ir até o ponto onde nós estávamos para tirar as cópias dos ingressos, o gerente da empresa não liberou os ônibus para passarem no local onde nós estávamos. Uma tremenda falta de respeito e desinformação com pessoas que tinham vindo de outros estados somente para assistir a partida e precisavam chegar ao aeroporto rápido porque todos tinham voo de volta marcado para o mesmo dia. Com toda essa confusão, o ônibus só saiu às 20h chegando ao aeroporto às 21h10 e quem tinha voo às 21h acabou perdendo.

"Padrão FIFA" na saída do estádio

“Padrão FIFA” na saída do estádio

Com o meu voo marcado para as 22h30, fui fazer o check in e voltei para a praça de alimentação para comer algo e percebi toda a falta de estrutura de um aeroporto internacional no Brasil. A “praça de alimentação” possui duas lojas: uma de massas onde você escolhe os ingredientes e outra de hambúrguer. O espaço é minúsculo e comporta no máximo cem pessoas sentadas e naquele momento todos os lugares estavam ocupados e algumas pessoas estavam comendo macarrão em pé e ainda tinha aproximadamente 50 pessoas na fila para fazerem pedidos nas duas lojas. Com a demora no atendimento, vi que seria impossível fazer o pedido e comer em 50 minutos. O jeito foi comer um lanche em um dos três quiosques espalhados pelo aeroporto.

Assim terminou para mim a Copa das Confederações. Uma competição que tinha tudo para ser uma experiência bem legal, mas devido a falta de organização e estrutura para receber turistas acabou se tornando extremamente cansativo.

Diário da Copa das Confederações: Japão x México

Novamente o destino foi Belo Horizonte e pra variar o horário do voo foi antecipado duas vezes em menos de uma semana.

Chegando ao aeroporto de Confins dessa vez aluguei um carro, uma vez que iria retornar somente no domingo. O aluguel do carro ficou em R$ 75, bem menor que uma corrida de táxi até o centro que é de aproximadamente R$ 100. Uma dica dos voluntários que estavam no aeroporto é pegar um ônibus de turismo, que é bem confortável e custa R$ 20, até o centro e de lá pegar um táxi até o hotel.

DSC01174

O aeroporto e todo o entorno está em obras e tem muita poeira perto. Quem deixa o carro no estacionamento Continue lendo

Diário da Copa das Confederações: Nigéria x Taiti

Continuando o Diário da Copa das Confederações

Depois do jogo Brasil x Japão…

Graças ao chef Alex Atala que se confundiu e pegou a bolinha do pote errado, deixei de assistir Espanha x Uruguai para ver o “jogão” Nigéria x Taiti.

Na ida, pra variar, o horário do voo foi alterado em aproximadamente uma hora. Chegando ao aeroporto de Confins, que também está em reformas, vi que existia ônibus para o estádio do Mineirão e o interessante era que para quem tinha ingresso do jogo o transporte era gratuito, para quem não tinha R$9,25.

20130617_151203

O aeroporto é muito longe do estádio Continue lendo

Diário da Copa das Confederações: Brasil x Japão

Continuando o Diário da Copa das Confederações

Depois de todo o problema para a retirada do ingresso relatado anteriormente, somente durante a semana li a entrevista do diretor de marketing da FIFA dizendo que era possível registrar uma procuração em cartório nomeando outra pessoa para retirar os ingressos. Aproveitando que um amigo viajaria para Belo Horizonte, pedi para ele retirar os ingressos.

Com o problema dos ingressos resolvido, verifiquei que a categoria que eu havia comprado, Categoria 2, estava localizado atrás do gol. Esse é outro problema na hora de comprar os ingressos, porque a fifa não disponibiliza o mapa do estádio e a explicação que ela dá no livrinho junto com os ingressos é genial… Lá diz que a categoria 1 é o preço mais elevado e localizado em áreas nobres do estádio, a categoria 2 está localizada fora da categoria 1 e a categoria 3 fora das categorias 1 e 2 (!).

Viajei no dia do jogo e o voo Continue lendo

Diário da Copa das Confederações: Retirada de ingressos

Edson Patão é o nosso enviado para a Copa das Confederações

Mantendo a tradição d’Ofinodabola de sempre estar presente nos grandes eventos, acompanharemos alguns jogos na Copa das Confederações direto dos estádios.

Copa das Confederações é uma festa, alegria, estádios bonitos e tralalá, mas na prática as coisas não são bem assim, e nós vamos relatar o dia a dia de um torcedor comum nessa competição. Antes do dia do jogo existe um longo processo desde a compra até a retirada dos ingressos e começaremos a publicar a partir de hoje alguns posts que terão o nome de “O diário da Copa das Confederações”. E nesse primeiro post relataremos toda a Continue lendo

Especial Copa das Confederações: Japão

Seleção Japonesa de Futebol - Os Samurais Azuis

  • Posição no Ranking da FIFA: 30º
  • Disputa a Copa das Confederações por ser o atual campeão da Copa da Ásia.

japão

Antes da chegada de Zico no início da década de 90, o único resultado expressivo da seleção japonesa havia sido na Olimpíada de 1968, onde conquistou a medalha de bronze.

Hoje, pouco mais de 20 anos após sua chegada, a seleção japonesa Continue lendo

O novo uniforme do Corinthians

Na última quarta-feira o Corinthians estreou o seu novo uniforme. O modelo foi inspirado no uniforme do time campeão brasileiro de 1990, na minha opinião uma homenagem muito justa.

camisa

Nem o mais otimista dos corintianos diria no começo do campeonato que aquele time terminaria como campeão. Com jogadores medianos e com Neto sendo o grande destaque do time, o Corinthians conseguiu superar no mata-mata, equipes bem melhores como Atlético-MG, Bahia e na final o São Paulo.

Foi a partir do título brasileiro de 1990 que o Corinthians começou a se tornar um time realmente grande. Desde 1959 quando os campeonatos nacionais começaram a ser disputados, o Corinthians tinha chegado apenas a uma final em 1976, ocasião em que perdeu para o Internacional, mas a partir da segunda final onde conseguiu conquistar o Campeonato Brasileiro pela primeira vez, o Corinthians se transformou em um time que começou a brigar por títulos nacionais.

Se em 31 anos de disputas o Corinthians chegava apenas a sua segunda final de um torneio nacional, nesses 22 anos após a conquista do Brasileiro de 1990, o Corinthians conquistou mais quatro Brasileiros, três Copas do Brasil e ainda foi duas vezes vice-campeão Brasileiro e duas da Copa do Brasil. Além dos três títulos internacionais com a conquista da Libertadores e de dois mundiais.

Que mais homenagens como essa possa acontecer no futuro, para que equipes que foram marcantes na história do clube sejam sempre lembradas pela diretoria e pelos torcedores.

Grande erro do Corinthians na venda de Marquinhos

Ótima contratação do Roma

Ótima contratação do Roma

Foi um grande erro do Corinthians na venda de Marquinhos, explico o porque. O Corinthians sofre algumas críticas nos últimos anos por não ter nenhum jogador na equipe titular que veio das categorias de base e quando apareceu um jogador que todos elogiavam, o Corinthians fez a grande besteira de vender por um preço bem baixo.

Desde que o Corinthians foi campeão da Copa São Paulo em 2012 todos elogiavam o zagueiro Marquinhos (contemporâneo do Matheus Caldeira) dizendo que ele era uma promessa e quando teve uma oportunidade na equipe titular jogou bem e foi apontado como uma grande revelação, sendo elogiado inclusive por Tite.

Mas eis que o Corinthians resolve emprestá-lo para a Roma junto com Leandro Castan que acabava de ser vendido para a mesma equipe. O Corinthians disse que estava emprestando o jogador para um clube europeu para ele adquirir experiência. Até aí tudo bem, porque o Corinthians receberia € 1,5 milhão por um ano de empréstimo, mas o problema foi o valor fixado caso a Roma quisesse ficar com ele em definitivo que era um pagamento de mais € 3milhões.

Só que Marquinhos teve a oportunidade de jogar alguns jogos, agradou o treinador e virou titular da equipe e a Roma não perdeu a oportunidade de adquiri-lo em definitivo. No total a Roma pagou apenas € 4,5 milhões ao Corinthians e está rejeitando mais de € 20 milhões de equipes como Barcelona e Manchester City. O próprio Barcelona que teve a sua oferta de € 20 milhões recusada, já está disposto a pagar € 25 milhões.

É claro que dificilmente uma equipe européia paga € 20 milhões por um zagueiro que esteja jogando em uma equipe brasileira, mas o Corinthians deveria ter estipulado um valor maior que os € 4,5 milhões. E no final o Corinthians não ficou com quase nada, porque o zagueiro Gil, que até agora tem jogado muito bem, custou € 3,5 milhões.

A diretoria que até agora tem feito um bom trabalho, nesse caso pisou na bola feio.