O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Especial Copa das Confederações: Nigéria

NIGA seleção da Nigéria, como em todas as competições que entra, vem para surpreender. Até porque, quando se achou que os africanos eram uma realidade, eles decepcionaram a todos.

A seleção nigeriana é a 31ª colocada no Ranking de Seleções da FIFA, e apenas a 4ª entre as africanas (atrás da Costa do Marfim, 13ª; Gana, 21ª e Mali, 23ª), mas se credenciou à Copa das Confederações em virtude do título da Copa Africana das Nações, onde venceu a novata Burkina Faso desfalcada de seu craque por um magro 1×0.

Não deve-se esperar muito de uma das mais europeia das seleções africanas. Ela apresenta um futebol pragmático e de força, bem diferente da Nigéria que já impressionou o mundo.

Na última quarta-feira, encaminhou bem sua vaga ao mata-mata para a disputa da vaga na Copa do Mundo, batendo a eliminada seleção do Quênia, fora de casa, por 1×0, gol de Ahmed Musa. Mas vale ressaltar que a seleção nigeriana foi pressionada em todo primeiro tempo, mas saindo do seu campo de defesa. Conseguiu apenas no segundo tempo impor seu ritmo.

Antes de vir ao Brasil, ainda visita a Namíbia pelas eliminatórias, resultado que classifico como vital ao moral da seleção nigeriana na Copa das Confederações. Uma nova vitória, deixará os Águias com a mão na vaga, e ânimo redobrado para o torneio no Brasil.

Seleção da Nigéria perfilada em jogo contra o Quênia

Seleção da Nigéria perfilada em jogo contra o Quênia

A Nigéria está no grupo B, ao lado de Espanha, Uruguai e Taiti, contra o qual estreia, dia 17 de junho, segunda-feira, no Mineirão, contra a fragilíssima seleção do Taiti.

Três dias depois, quinta-feira, 20, na Arena Fonte Nova, pega o Uruguai (em jogo chave que deve definir sua vaga ou não às semifinais), e fecha a participação no domingo, 23, contra Espanha, no Castelão em provável derrota.

A seleção da Nigéria vem para a Copa das Confederações com um elenco remodelado em relação à Copa Africana e às eliminatórias. Foram convocados 23 jogadores, somente com a defesa mantida, sendo nove deles novatos (quatro estreantes e cinco com uma única convocação). Segue lista:

Obi Mikel

Obi Mikel

Goleiros: 23-Chigozie Agbim (Enugu Rangers), 16-Austin Ejide (Hapoel Beer Sheva) e 1-Vincent Enyeama (Maccabi Tel Aviv)
Defensores: 5-Efe Ambrose (Celtic), 21-Francis Benjamin (Heartland FC), 3-Elderson Echiejile (Sporting Braga), 6-Azubuike Egwuekwe (Warri Wolves), 12-Solomon Kwambe, 2-Godfrey Oboabona (ambos do Sunshine Stars) e 22-Kenneth Omeruo (ADO Den Haag)
Meio-campistas: 18-Emeka Eze (Enugu Rangers), 10-John Obi Mikel (Chelsea), 13-Fegor Ogude (Valerenga), 4-John Ogu (Acadêmica Coimbra), 17-Ogenyi Onazi (Lazio) e 19-Sunday Mba (Enugu Rangers)
Atacantes: 9-Joseph Akpala (Werder Bremen), 15-Michael Babatunde (FC Kryvbas), 11-Muhammad Gambo (Kano Pillars), 8-Brown Ideye (Dynamo Kiev), 7-Ahmed Musa (CSKA Moscow), 20-Nnamdi Oduamadi (Varese) e 14-Anthony Ujah (FC Cologne)

Um dos destaques do time é o goleiro Enyeama, goleiro do Lille, de 30 anos, que está emprestado ao Maccabi. É seguro e bom nas bolas aéreas.  Outro destaque é o meia/volante do Chelsea, Obi Mikel, unânime para muitos, mas questionado por outros. Por fim, o atacante Ahmed Musa, do CSKA, que possui boa presença de área e explosão, promete incomodar muito as defesas adversárias.

O treinador Stephen Keshi, diferente de muitos times africanos, é nativo. Atuou inclusive em uma partida da Copa de 1994, pois era reserva. Como treinador, levou a seleção de Togo à Copa de 2006. É considerado polêmico, pois pretere muitos atletas que jogam fora do país em troca de atletas jovens e locais. Foi muito criticado por isso pela imprensa local, mas como já rendeu frutos, conta com respaldo da torcida local.

Nigéria é uma das maiores seleções do continente em todos os tempos

Nigéria em campo pelas eliminatórias

Dentro do continente africano é sem dúvida uma das mais poderosas. Para se ter ideia, em 29 edições da Copa Africana de Nações, 12 vezes ela não disputou (seja por não ter se classificado, ou sequer ter disputado ou pleiteado vaga). Mas das 17 vezes que disputou, conquistou 3 títulos, 4 vice-campeonatos e 7 terceiros lugares, ou seja, apenas 3 vezes caiu na primeira fase.

Três não: duas! Uma curiosidade: em 1996, a equipe se classificou, mas não foi à competição, defender o título de 1994. Motivo: tanto a FIFA, quanto a CAF, decidiram se pronunciar em relação ao governo militar local. E como é quase uma regra na história das seleções de futebol mundial, o time da ditadura nigeriana escreveu uma das mais impressionantes e surpreendentes conquistas do futebol nigeriano: o ouro olímpico em Atlanta.

Kanu

Kanu

A jovem seleção de Babayaro, Amokachi, West, Babangida, Oliseh, entre outros surpreendeu o mundo. E um deles, Kanu, matou o Brasil na semifinal, numa virada histórica que lembramos amargamente no gol de ouro. O número dele? 4. Uma homenagem ao seu ídolo de infância: Stephen Keshi. Outro grande jogador, Amunike, foi o responsável pelo gol aos 45´do segundo tempo, fazendo 3×2 sobre a Argentina.

Tem destaque em mundiais sub-17, com 3 títulos, além de 4 vice-campeonatos. Disputou 4 Copas do Mundo, indo às oitavas em 2 e morrendo na primeira fase em suas duas últimas participações. Estreará em Copa das Confederações, jogando apenas a Copa Intercontinetal de 1995, a precursora do torneio, onde ficou em quarto lugar.

Assim, fechando, nessa Copa das Confederações não espero muito da Nigéria. Mas não me surpreenderei se os Águias forem longe novamente.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

*