O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Especial: Mundo Messi

Domingo passado (19/08) o Esporte Espetacular exibiu a reportagem especial Mundo Messi.

Bacana as entrevistas exclusivas e imagens de arquivo. Mas nada de novidade para quem já deu um ‘google’ no argentino.

Pois agora vou apresentar-lhes o meu MUNDO MESSI.

Lionel Andrés Messi é sim o melhor jogador do mundo – #fato!

Mas não é gênio.

Explico, vamos lá (entrelaçando os dedos e esticando os braços à frente)…

O Barcelona funciona como um relógiosuíço e Lionel sua engrenagem mais perfeita. Com Messi, o Barça pratica um futebol nota 9,9. Sem o argentino o time ganharia notas entre 8,6 a 8,9, por aí…

Pois tire Messi da sua máquina e coloque-o num outro relógio… Um relógio argentino talvez. Até ajusta, acerta a hora, mas não roda perfeitamente!

Digo mais. Troque-o com Cristiano Ronaldo e veja quem a curto/médio prazo renderia mais: CR7 no Barcelona ou Messi no Real Madrid?

O português elevaria a nota do relógio blaugrana para 9,2, talvez ponto quarto. Lionel demoraria para se ajustar ao esquema dos merengues.

(isso significa apenas que Cristiano é mais adaptável do que Messi, ponto!)

Messi funciona como Messi porque foi fabricado no Barcelona. E as principais peças que fazem o relógio rodar quase que a perfeição também foram fabricadas em La Masia – e são praticamente do mesmo lote.

Seria ele gênio se sentasse frente à bancada, ajustasse o monóculo e regulasse qualquer outra máquina ao seu tic-tac.

E é isso que ele não consegue fazer, evidentemente, na seleção argentina.

(discussões sobre “treinabilidade” e entrosamento de seleções nos Comentários)

O que eu quero dizer é que falta em Messi o gênio organizador, que pega a bola, coloca de baixo de braço e diz: aquí las cosas van a funcionar bien a mi manera… O famoso “vem comigo”!

Gênios dizem “vem comigo”.

Beckenbauer dizia no Bayern e na seleção; Cruijff dizia no próprio Barça e na seleção; Platini e Zidane disseram na Juve, nos Bleus e o último também no Real; Zico no Fla e na seleção; e claro Diego.

(notem a exclusão proposital do Rei e dos 9’s de ofício)

Messi não é apático com a camisa albiceleste. Ele tenta. Solo. Sem fazer a engrenagem toda girar. Daí o olhar cabisbaixo sempre que as coisas não funcionam na Argentina. E é justamente essa atitude de liderança que os hermanos cobram tanto. Eles exigem isso do seu 10, do seu craque, do seu geninho.

Mas não digo que ele não é gênio e ponto. Ele aiiiiiiinda não é.

Quem assistiu aos últimos jogos da Argentina pôde notar um jeito diferente de jogar, tanto do time, quanto de Messi. O técnico Alejandro Sabella (milonguero) está fazendo a seleção jogar em função do seu enganche… E os resultados estão aí: 12 J, 8 V, 2 E e 2 D. O último revés foi ante a Venezuela, 1×0. Depois um empate e cinco vitórias – as últimas contra Brasil e Alemanha.

Num futuro próximo, podemos nos ferrar literalmente de verde e amarelo, pois Messi, com 25 anos, pode alcançar seu nível de genialidade em 2014!

Isso só o tempo dirá. Por enquanto ele bate à porta do salão comunal dos gênios do futebol.

***

Uma curiosidade pode explicar esse jeitão quieto dentro e fora de campo.

Quem já ouviu falar que Messi é autista?

Um amigo levantou essa bola e argumentou: já reparou como ele é na dele, acanhado, e raramente concede entrevistas? (Até aí ok, e daí?) Lembra-se de Rain Man (o filme)? O personagem de Dustin Hoffman conseguia se concentrar tão absurdamente no embaralhar das cartas que era capaz de contá-las mentalmente – o que foi usado pelo personagem de Tom Cruise para tomar vantagem em jogos de 21. Faça a analogia e pense na concentração de Messi no jogo. A bola é seu baralho. E não há cristo que tire sua concentração. Nem com pancada! Por isso ele não cai quando é tocado. Como crianças especiais brincando com aquele joguinho de encaixar peças, seu objetivo é colocar a bola no fundo das redes – e nada os interrompe!

Fiquem com uma pulga atrás da orelha (sem trocadilhos).

Pesquisei e o máximo que encontrei são poucas linhas dizendo que Messi foi diagnosticado autista aos 8 anos de idade, antes do nanismo e do famoso tratamento que o curou.

Talvez um diagnóstico precipitado. Porém Lionel ajuda instituições que cuidam de crianças com Síndrome do X Frágil – uma espécie de deficiência mental muitas vezes confundida com o autismo. Coincidência?

Coincidência ou não, o ex-treinador Jorge Valdano, em entrevista ao jornal La Nación, disse que “Alcanzar esos niveles de celebridad sin confundirse es imposible, salvo que uno sea un superdotado o un autista…” sobre o não deslumbramento do craque em relação a sua importância para o futebol mundial.

Um médico holandês pretende estudar o cérebro de Messi para saber como se tomam decisões em frações de segundo, sabendo priorizar. Segundo o médico, “Messi decide se corre, pula ou chuta em um instante e queremos averiguar como sua cabeça faz isso… No campo de jogo, Messi sabe onde estão os demais jogadores e nesse momento decide não somente como escapar dos rivais e para onde ir, mas também que pé usar e o que fazer com a bola”.

E você, o que acha desse argentino que vem assombrando o mundo com seu talento?

Pra mim, nem gênio nem autista. Apenas o melhor jogador de futebol do mundo e sem dúvida um cara muito especial.

Esse é o meu MUNDO MESSI.

Categoria: Post
  • Rafael oliveira diz:

    ótima analise, realmente o Messi não se encaixa no estilo de jogo da Argentina, não como é no Barça. Para isso acontecer o time deve jogar em função dele, mas como om tempo é curto para treinamentos, veremos talvez isso acontecer exatamente na copa 2014, pois temos visto uma Argentina ue não joga mais como um time de toque, mas de toque-Messi, as coisas começam a s encaminhar para um jogo em função do Messi.

  • Pingback/Trackback

    Messi e Michael Jordan

  • Anderson diz:

    Olha o Edu voltando à velha forma, que me lembrou os posts dos tempos de CGC! Belíssima análise. Assino embaixo.

  • Fábio diz:

    Ah, Rodrigo! Pára com essa implicância com o Cristiano Ronaldo, uma coisa é não gostar do cara, outra é comparar com o Mazinho(???).

    O Messi é genial, e será elevado a outro patamar se vencer uma Copa do Mundo com a Argentina.

  • Bronquinha diz:

    Excelente. Melhor ainda lembrar que CR7 só encaixaria melhor, como talvez o Mazinho do Palmeiras também encaixasse melhor. Messi é anos-luz melhor, mais eficaz e mais talentoso que CR7. O melhor do mundo, sem sombra de dúvidas. E que não precisará ganhar uma copa do mundo para ser gênio…

  • Nogueira diz:

    Belo texto Edu, infelizmente acho que na Copa ele vai responder a sua pergunta.

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

*