O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Papo do Fino PodCast de Futebol e Esportes Programa 120 A Evolução Tática dos Volantes

No ar, o Papo do Fino, úúúlll podcast do Futebol e Esportes do blog O Fino da Bola.

Nesse programa Nogueira Bolina, Clayton Montanha e Rodrigo Bronquinha analisam A Evolução Tática dos Volantes.

A evolução dos esquemas táticos; o WM; o futebol total da Holanda; o 3-5-2 da Dinamáquina; os primeiros jogadores de meio marcadores; os volantes clássicos; conceitos de 1

  • Gustavo diz:

    Nogueira, concordo que a Globo ajudou a escrachar o cara sim, mas acho que jamais ele deveria ter sido convocado para seleção, na minha opinião ele é mediano.

  • Edu Zanardi diz:

    Hey Vicente, você tem que concordar conosco que quem mais gosta de zoar com os flamenguistas são os próprios dirigentes do Fla.

    Ouça o podcast que gravamos sobre as desventuras rubro-negras: http://migre.me/bEvjO

    Abs

  • Vicente Verschoore diz:

    Valeu Nogueira. Sou fã da série o fino das Copas, e apesar de ser flamenguista e carioca (que vcs adoram zoar), admiro muito o trabalho de vcs. Abs!

  • Nogueira diz:

    Gustavo, eu gosto do Felipe Melo, acho que a Globo ajudou a escrachar o cara, e agora sim temos uma explicação convincente sobre a origem do volante senhore, muito obrigado Vicente

  • Vicente Verschoore diz:

    CARLOS VOLANTE: Referência Histórica
    Carreira: 1928 Platense (Argentina); 1929-30 San Lorenzo (Argentina); 1930-31 Vélez Sarsfield (Argentina); 1931-32 Napoli (Itália); 1932-33 Livorno (Itália); 1933-34 Torino (Itália); 1934-35 Rennes (França); 1935-36 Olympique Lillois (França); 1937-38 Paris Charenton (França); e 1938-1943 Flamengo

    Jogou 150 jogos e fez 4 gols enquanto esteve na Gávea.

    O argentino Carlos Volante fez tanta história com o vermelho e o preto que se tornou referência: dele em diante o Brasil passou a chamar a posição de cabeça-de-área como “volante”, porque os técnicos contemporâneos a sua passagem pelo Flamengo só diziam a seus subordinados: “jogue como o Volante”. E os torcedores diziam que agora seu time tinha um “Volante”. Bravo, eficiente, lutador, raçudo, e perfeito na contenção do ataque adversário e nos desarmes.

  • Vicente Verschoore diz:

    A expressão “volante” no futebol brasileiro, se deve a Carlos Volante. Como jogava no meio de campo, a expressão pegou e se tornou popular até os dias de hoje.

  • gustavo diz:

    Dos volantes brasileiros, na minha opinião faltou falar do Leandro Donizete, que tá jogando tudo no Galo, e no Coritiba, acabava com o jogo tbm.
    Outro grande volante esquecido foi o glorioso Felipe Melo, craque da seleção! ahahahahaha, brincadeira.
    Valeu pelo cast! abraço!

  • Rodrigo Bronquinha diz:

    Nogueira, e por acaso o lateral direito é o 1?
    .
    Bruno, eu particularmente, não o vejo nem entre os 100 melhores…

  • Nogueira diz:

    Será que eu acertei pelo menos na explicação do Beque? Concordo com o Du, tanto que o lateral do Real e do Santos joga com a 4.

  • Edu Zanardi diz:

    Olha aíííí… Essa explicação do Julio foi bacana hein!!! Pra mim o quarto-zagueiro deveria ser o lateral-esquerdo, pois é o quarto da defesa na escalação básica (4-4-2), mas não faz sentido algum né?!? Agora tudo ficou claro (só falta descobrir o por que do nome “volante”)! Valeu Julio!!!

  • Julio diz:

    Ainda nem terminei de escutar, mas tinha de vir comentar sobre o quarto-zagueiro. Pelo que sei, antes da final da Copa de 1950, o esquema utilizado, provavelmente por todas as equipes que tinham um esquema, era o WM, onde apenas três jogadores eram incumbidos de defender. Antes da final da citada e fatídica Copa o Mundo, o técnico do Uruguai, prevendo a derrota, determinou que um dos meio-campistas voltasse para fechar a defesa pelo meio, surgindo, assim, o quarto-zagueiro. Com o sucesso do Uruguai sobre o Brasil, a posição se firmou e nasceu o 4-2-4.

    Continuem com o ótimo trabalho!

  • Bruno Pires Oliveira diz:

    PÔ e o Paul Scholes???

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*

*