O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Pra começar a semana… Uma homenagem a Alexandre Pato

Pra começar a semana… Uma homenagem ao protagonista do clássico Majestoso: Alexandre Pato.

A letra da canção, de B Negão & Os Seletores de Frequência, tem tudo a ver com o tema do próximo Papo Do Fino – a situação dos estádios para a Copa no Brasil – mas é impossível não lembrar do atacante do Timão (e da zaga tricolor) ao ler o nome da música…

Portanto, com vocês, A Verdadeira Dança do Patinho!

Quack, quack, quack, quack…

Émerson Sheik e a estreia do Corinthians na Libertadores 2013

Hoje o Corinthians, atual campeão da Libertadores da América, estreia no torneio.

Claro que esse foi um dos discursos na padaria.

Eis que discutindo sobre a escalação do também atual campeão mundial, se fica Jorge Henrique, se entra Pato ou Romarinho, Guerrero centralizado, Sheik… Opa!!! Balburdia num dos cantos do balcão…

Um rapaz levanta a voz e diz: Esse Émerson Sheik é um mau-caráter Continue lendo

Papo do Fino PodCast de Futebol e Esportes Programa 133 Entrevista com o Fisiologista Antonio Carlos Fedato

Nesse programa entrevistamos o fisiologista do Corinthians Antonio Carlos Fedato Filho. A fisiologia e o preparo físico; as contusões; antropometria; qual o limite do atleta?; mortes no futebol; doping; e o atleta do futuro.

Papo do Fino PodCast de Futebol e Esportes Programa 109 Olimpíadas de Londres 2012

No ar, o Papo do Fino, úúúlllll podcast do Futebol e Esportes do blog O Fino da Bola.

Nesse programa Edu Zanardi, Clayton Montanha e Rodrigo Bronquinha analisam criteriosamente os favoritos

Papo do Fino PodCast de Futebol e Esportes Programa 108 Futebol Olímpico

No ar, o Papo do Fino, úúúlll podcast do Futebol e Esportes do blog O Fino da Bola.

Nesse programa Edu Zanardi, Clayton Montanha, Nogueira Bolina e Rodrigo Bronquinha debatem sobre o Futebol Olímpico.

Os primeiros campeões “mundiais”; a importância de um título olímpico; as regras para a convocação de atletas; a participação dos profissionais; os maiores medalhistas; a participação do Brasil no Continue lendo

Brasil eliminado da Copa América

O tempo normal foi um massacre. Mas é futebol, e não preciso dizer nenhum chavão…

Mas quando se fala em time, não acho certo caçar culpados, pois os times têm administração, geram lucros e prejuízos.

Mas na seleção brasileira sim… Afinal, ela representa a mim e a vocês que lêem, e outra: até tem gestão. Mas a #confederaçãobaderneiradefutebol só atrapalha.

Vamos aos culpados:

- Faltou humildade: no primeiro tempo, onde o Paraguai foi péssimo, sempre precisávamos dar um toque a mais.

- O goleiro paraguaio Villar teve um grande dia, reconhecido por ele mesmo como a melhor atuação de sua vida.

- Culpar o gramado é vergonhoso. O Paraguai corria em outra grama/areia?

- A dupla de volantes da seleção é vergonhosa. Lucas Leiva e Ramires não vão a lugar nenhum. O Corinthians tem uma dupla melhor: Ralf e Paulinho. O Brasil ainda tinha Elias. Mano não convocou Arouca não sei porque. Tem muito, mas muito volante melhor que eles.

- Não se pode criticar o futebol, pois as chances foram criadas e sofremos pouco com os contra-ataques. Mas as alterações de Mano Menezes foram muito ruins. Não apenas por tirar Neymar e Ganso, mas por tirar do Brasil o poder de criação. Depois da saída deles o jogo foi igual.

- Robinho, mesmo há tempos fora de posição, foi o melhor em campo. Mas ao lado dele, em muitos lances, esteve André Santos, na pior partida que o vi jogar.

- Culpar o árbitro por não punir exemplarmente os paraguaios também não justifica – arbitragem “a la mestre Anderson”: bate a vontade que não é falta…

- Torço pela aposentadoria de Julio Cesar e Lucio. Por favor! JC vai cuidar de sua esposa, e já que o Lucio ama tanto a seleção, arruma um cargo pra ele.

- Aguardo ansiosamente o Papo Do Fino sobre a relação com a seleção. Mas não aceito os fogos que ouvi depois do jogo. Não existe motivo para uma falta de caráter dessa. Torcer contra, com motivo, até aceito. Mas comemorar é mau caratismo.

Argentina x Uruguai: Messi joga sozinho. E não jogou no segundo tempo. Lamento pelo Brasil por isso. Não tinha adversário para nosso futebol. O Uruguai tem a chance de ganhar um título que não vê desde 95, quando bateu o Brasil nos pênaltis, pois tem uma seleção inteligentíssima e voluntariosa.

Colômbia x Peru: A Colômbia foi uma seleção que apresentou algo de bom na primeira fase. Rodallega esteve bem, mas sábado Falcão Garcia perdeu pênalti, e o Peru, mesmo sem Farfán e Pizarro, seus dois principais jogadores, fez 2×0.

Chile x Venezuela: A seleção chilena, o melhor futebol da Copa América, até aqui, começou levando 1×0. No segundo tempo, após a entrada de Valdívia, um massacre chileno até o empate em 1×1, quando sossegou, e num vacilo do fraco goleiro Bravo a Venezuela voltou a frente, fechando classificação histórica em 2×1.

As semifinais da estranha Copa América são: Uruguai x Peru (que vieram do grupo C) e Venezuela x Paraguai (que vieram do grupo B).

BRASILEIRÕES

Série A: No sábado, o mistão do Peixe fez 2×1 no falido Galo; Coritiba enfiou 3×1 no Flu, mal das pernas; Vasco dançou o vira, 2×1 pra cima do lanterna Furacão e o Dragão levou 0×1 do Avaí em casa. No domingo, o Ceará sapecou o América/MG: 4×0; o Cruzeiro vence o Bahia, 2×1 e o São Paulo, agora de Adilson Batista, surpreendeu o Inter, em Porto Alegre, 3×0. Corinthians, São Paulo, Flamengo e Palmeiras formam o G-4; o Z-4 é formado por Atlético/GO, Avaí, América e Atlético/PR.

Série B: A Ponte levou a melhor no dérbi campineiro (2×0) e segue firme na perseguição à Lusa, ambos com 23 pontos. Paraná, Americana (fechando o G-4) e ABC, seguem com 20. Lá embaixo, Icasa e Bragantino, com 12, Guarani com 9 e Duque de Caxias com apenas 3.

Série C: Começou nesta semana. Os paulistas começaram mal. O Marília empatou com o Macaé, em 2×2, fora de casa. O Santo André, no Bruno José Daniel, levou 2×3 do Brasil de Pelotas.

Série D: Começou com duelo entre campeões estaduais: Bahia de Feira 1×0 Ríver Plate/SE. A série D tem 3 times que jogam as segundas divisões de seus estados: o Sendas/RJ, o Cerâmica/RS e o Itumbiara/GO. Em contrapartida, o tradicional Remo/PA não se classificou. Dos paulistas, o Oeste chegou a abrir 3×1 contra o CENE, no MS, mas ficou no 3×3. O Mirassol venceu em casa, 1×0, o Operário/PR.

Brasil, Argentina e o que esperar das finais da Copa América

Brasil e Argentina classificaram-se no segundo tempo de seu terceiro jogo. Mas só o Brasil cumpriu com a obrigação de liderar seu grupo.

Lembremos que o grupo argentino era o mais fraco (tanto que dois times foram eliminados) e a Argentina não foi acossada na defesa quase nunca. Já o Brasil foi pressionado nos três jogos, e respondeu negativamente.

A ofensiva brasileira só tem grandes jogadores, Neymar, Ganso, Pato, Robinho, e nenhum deles correspondeu nos dois primeiros jogos; a ofensiva Argentina só tem Messi, sendo que apenas Aguero se salva: os demais, são somente esforçados e alguns, como Higuaín, ruins mesmo.

Messi é craque; Neymar e Ganso são futuros craques. Messi só joga com jogadores do seu nível, e assim, é tanto municiado quanto municia, sempre com qualidade ímpar; Neymar e Ganso, mesmo sendo dois, carregam seu time, devem chamar a responsabilidade e decidir os jogos. Então porque Messi deve ser mais cobrado e Ney-Gan devem ser preservados, pela juventude? Não sei responder, por não ver lógica nisso.

A diferença dos gols sofridos não está apenas na fragilidade dos adversários. O Brasil tem laterais ativos e atacantes (inclusive, contra o Equador, foi Maicon quem desequilibrou a partida); a Argentina, mortos. Mas o Brasil tem meias de contenção sofríveis: cobrem mal os laterais, erram muitos passes e só atrapalham a saída; os argentinos iniciam a pressão ofensiva, não precisam cobrir tanto os laterais, é verdade, mas sabem sair jogando, que evita um pouco a pressão adversária.

Goleiros não podem ser comparados, pois Romero sequer foi acionado. Mas a era Julio César acabou (deve estar estagiando com Rogério Ceni). E para mim, Victor não é seguro o suficiente. Gomes é o goleiro da vez.

Batista sabe que seu time é limitado e só Messi pode desequilibrar. Até por isso, ele pode ser apontado como responsável pelo fracasso inicial, ao não posicionar nem escalar o time de maneiras adequadas. Mano Menezes sabe que seu time é tecnicamente muito superior. Até por isso, ele deve deixar em campo (pelo menos começar) quem tem a capacidade de desequilibrar. Só que precisa sacar Ramires e Lucas Leiva, ou pelo menos, após a saída de Sandro, somente Ramires, que tem atrapalhado demais a saída canarinha.

Analisando a primeira fase, Argentina e Brasil mereceriam decidir o terceiro lugar, até porque Uruguai e Paraguai tiveram atuações inferiores a eles. Mas se Colômbia e Chile souberem superar o fator camisa, mereceriam pelo futebol apresentado até aqui fazer a final do torneio, pois foram as seleções que apresentaram algo de bom, com Rodallega, Falcão Garcia, Alexis Sanches e Valdívia, que tiveram boas atuações.

Mas essas quartas serão imprevisíveis, com dois clássicos que se esperavam nas semifinais, e dois jogos de times que acabaram surpreendendo, inclusive o bem arrumado time do Peru e o raçudo escrete venezuelano.

É esperar pra ver…