O Fino da Bola

Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

O Fino da Bola - Blog de Futebol e Podcast de Futebol e outros Esportes

Papo do Fino PodCast de Futebol e Esportes Programa 106 Futebol Argentino

No ar, o Papo do Fino, úlll podcast do Futebol e Esportes do blog O Fino da Bola.

Nesse programa Edu Zanardi, Rodrigo Bronquinha e Andre ‘Caniggia’ Bigoto desmistificam o Futebol Arrrrentino.

O início do futebol na Argentina; o Charles Miller hermano; los 5 grandes; o domínio continental; o casting da seleção argentina; Diego Maradona; Di Stéfano vendido; Apertura, Clausura e o regulamento Continue lendo

O campeonato mais equilibrado do mundo

Talvez possa parecer um exagero. Mas ninguém consegue imaginar, por exemplo, o Barcelona, disputando o título, perdendo para o Osasuña em pleno Camp Nou, quando este foge do rebaixamento, e duas semanas depois, o Barcelona perde novamente, agora para o Levante, na zona intermediária, enquanto o Real, que luta ponto a ponto pelo título perde do Bilbao.

Pois é. Surreal. Para qualquer lugar do mundo. Menos para o Brasil. É algo diferente de qualquer parte do planeta. Quando gravamos o nosso podcast sobre os campeonatos estrangeiros (PDF 62a e PDF 62b), palpitamos sobre os favoritos. E a não ser eu, um fanático por times de menor expressão, ninguém aponta mais de três times com chances, isso antes do início do certame.

Por aqui as coisas são tão diferentes, que na segunda rodada do segundo turno, ainda apontamos 5 times com chances reais. E isso porque, além do Palmeiras que desperdiçou hoje boa chance, Internacional, Fluminense e Santos, times com bons elencos, decepcionaram e estão longe da briga. E com frequência, esses 5 primeiros, Corinthians, Vasco, São Paulo, Flamengo e Botafogo, perdem pontos para os times da rabeira da tabela, incluindo o lanterna.

Esse nivelamento pode ocorrer também pelo baixo nível técnico dos atletas que sobram, ou então pode ser reputado à gestão da maioria dos times. Mas independente disso, a emoção é grande, e poucos foram os torneios onde um time disparou e tornou o torneio cansativo.

Asterisco: O lateral Gilberto, do Cruzeiro, que cometeu o pênalti claro desperdiçado por Marcos Assunção, declarou que abandonaria a carreira, e colocou a arbitragem entre os culpados. Lamentável…

BRASILEIRÃO

  • Os seis primeiros: Corinthians (40), São Paulo e Vasco (38), Botafogo (37), Flamengo (36) e Palmeiras (33).
  • Os seis últimos: Bahia (24), Santos (23), Atlético/MG (21), Avaí (20), Atlético/PR (18) e América (17).

SÉRIE B

  • Os seis primeiros: Portuguesa (42), Ponte (39), Náutico (38), Americana (34), Sport (33)  e Vitória (31).
  • Os seis últimos: Icasa (27), Vila Nova (24), São Caetano (24), Guarani (23), Salgueiro (16), Duque de Caxias (9).

SÉRIE C

  • Os oito classificados, hoje: Águia (PA), Rio Branco/AC, América/RN, CRB, Ipatinga, Brasiliense, Joinville e Chapecoense.
  • Os quatro rebaixados, hoje: Araguaína/TO, Campinense/PB, Macaé/RJ, Santo André/SP.

SÉRIE D

  • Os dezesseis classificados, hoje: Penharol/AM, Cuiabá, Sampaio Corrêa,São Raimundo, Santa Cruz/PE, Santa Cruz/RN, Treze/PB, Coruripe/AL, Itumbiara/GO, Tupi/MG, Villa Nova/MG, Volta Redonda/RJ, Mirassol, CENE/MS,  Juventude, Cianorte/PR

Os elos entre a vitória e a boa administração

O aniversário de 97 anos do Palmeiras, a campanha do Santos, a vitória do M. City e a derrota vexatória do Arsenal me motivaram a escrever sobre a administração dos clubes nessa rodada de super clássicos.

O Palmeiras, como foi lembrado, trabalhou durante muitos anos a política do bom e barato, caindo no ostracismo e merecendo rótulos como Guarani da Pompeia. Se satisfaz em bater o Corinthians em Presidente Prudente e em brigar por vagas na Libertadores, quase sempre sem sucesso. Qual próximo passo? Fugir da degola?

Já o Santos, um time esquecido no tempo e que vivia das lembranças de Pelé, com um calmo Leão no comando, garimpou Diego e Robinho e mudou totalmente sua história. Mas com uma administração bastante questionada, tanto nos tempos de Marcelo Teixeira, com suposto desvio de verbas da faculdade, até a gestão atual, com algumas contratações questionadas, como a de Jonatas (que até já se foi) e Ibson, seguraram Neymar e Ganso. Sorte?

O Manchester City, conhecido como Santo André da Inglaterra (o Chelsea é o São Caetano), é um time milionário. O que talvez prove que dinheiro não resolve. Pois segundo muitos críticos, o City sempre monta belos times, mas não possui elenco. Talvez no final dessa temporada tenhamos a resposta, pois parece que o time (travestido de Milan) foi bem armado e bem escolhido por Mancini. A vitória por 5×1 sobre o Tottenham, fora de casa, dá uma mostra da força da equipe para essa temporada. Muitas vezes foi mostrado que dinheiro apenas não resolve. Será?

E o que dizer do Arsenal? Time jovem? Os narradores da ESPN repetiram “n” vezes durante a narração da partida desse domingo, que a média de idade dos dois times era exatamente a mesma, mudando apenas na segunda casa depois da vírgula. Ou seja, o que justifica o 8×2 sofrido para o Manchester United? Que o treinador não quer gastar a grana que a diretoria diz que disponibiliza? Qual problema de gestão ocorre no Arsenal? Mesmo assim, o treinador parece que ainda segue prestigiado pela torcida. pelo menos mais que os atros que sairam…

O Arsenal é há tempos o time “para amanhã”, assim como o Palmeiras. Até quando?

Minuto F-1: Vettel vence em nova dobradinha da Red Bull, voltando à maçante rotina, e dispara mais ainda. Bruno Senna, que criou grande expectativa, decepcionou com a barbeiragem na largada. Button completou o pódio e roubou a quarta colocação no Mundial de Hamilton.

Pipocadas: Não merecendo muita consideração além da citação, o 11º lugar de Maurren e a derrota da seleção de vôlei feminino foram bizarras. Sem falar na queimada de Bolt, mas aí já é outro assunto, pois foi bem discutível…

Violência: Dois torcedores baleados, um deles em cirurgia, é o saldo de mais um lamentável episódio dos clássicos entre os paulistas.

BRASILEIRÃO

  • Os seis primeiros: Corinthians (37), Flamengo (36), São Paulo e Vasco (35), Botafogo (34) e Palmeiras (32).
  • Os seis últimos: Grêmio (21), Bahia (20), Atlético/PR (18), Avaí (17), Atlético/MG (15) e América (13).

SÉRIE B

  • Os seis primeiros: Portuguesa (38), Ponte (35), Náutico (34), Americana (30), Sport (29)  e Goiás (28).
  • Os seis últimos: Bragantino (24), Vila Nova (23), São Caetano (21), Guarani (20), Salgueiro (16), Duque de Caxias (9).

SÉRIE C

  • Os oito classificados, hoje: Brasiliense, Paysandu, Águia (PA), América/RN, CRB, Ipatinga, Chapecoense e Joinville.
  • Os quatro rebaixados, hoje: Araguaína/TO, Campinense/PB, Macaé/RJ, Santo André/SP.

SÉRIE D

  • Os dezesseis classificados, hoje: Villa Nova/MG, Penharol/AM, Cuiabá, Sampaio Corrêa,São Raimundo, Santa Cruz/RN, Santa Cruz/PE, Coruripe/AL, Treze/PB, Itumbiara/GO, Gama, Volta Redonda/RJ, Mirassol, CENE/MS,  Juventude, Cianorte/PR

O quanto uma casa ou uma torcida ganham ou perdem um jogo

A história de jogar em casa ou fora, histórica e estatisticamente, é fundamentada.

Mas algumas situações são curiosas demais. O Morumbi é um estádio distante e onde a pressão exercida é quase nula. Mas hoje o Palmeiras está a quase 10 anos sem bater o São Paulo lá. E a torcida do São Paulo é outra que também não é de pressionar. Assim, é simples coincidência?

O Palmeiras também protagoniza outra situação: o Parque Antártica é tido como um alçapão. Mas de lá vem as grandes derrotas da história do alvi-verde, como eliminações nacionais para Cruzeiro, Flamengo, Vasco.

A Portuguesa então, nem se fala. Quer eliminar a Portuguesa, leve-a ao Canindé decidir algo.

O Santos também não sabe fazer da Vila Belmiro seu alçapão, apesar de não decidir lá muitas vagas.

O Corinthians, onde a torcida bate no peito falando da dificuldade que é sequer empatar com o Timão no Pacaembú, fora pequenas derrotas como a de sábado, coleciona frustrações decisivas ali, como contra Ríver Plate, Flamengo e Tolima.

O próprio Furacão, que vinha embalado, e coloca a Arena da Baixada como seu alçapão, não rendeu sequer o frágil Coelho.

Isso me faz pensar muito no poder da torcida e da estatística. O time ganha 80% dos jogos em casa, mas dentro desses 20%, estão somente todos  jogos de maior importância. Porque não há como negar: para a torcida, bater o Fernandópolis conta apenas pelos aplausos do dia e as manchetes do dia seguinte.

Será que o campo e a torcida têm realmente poder de decidir?

.

BRASILEIRÂO

Os seis primeiros:

Corinthians (37), Flamengo (35), São Paulo (34), Vasco (34), Botafogo (31) e Palmeiras (29)

Os seis últimos:

Santos e Grêmio(18), Atlético/PR (17), Atlético/MG (15), Avaí (14), América (13)

SÉRIE B

Os seis primeiros:

Portuguesa (37), Ponte (34), Náutico (33), Paraná (28), Americana e ASA (27)

Os seis últimos:

Barueri (23), Bragantino (21), Guarani e São Caetano (20), Salgueiro (16), Duque de Caxias (9)

SÉRIE C

Os oito classificados, hoje:

Águia (PA), Paysandu, América/RN, CRB, Brasiliense, Ipatinga, Joinville e Chapecoense.

Os quatro rebaixados, hoje:

Araguaína/TO, Campinense/PB, Macaé/RJ, Santo André/SP

SÉRIE D

Os dezesseis classificados, hoje:

Penharol/AM, Cuiabá, Sampaio Corrêa, Comercial/PI, Santa Cruz/RN, Guarani/CE, Treze/PB, Bahia de Feira, Itumbiara/GO, Tupi/MG, Villa Nova/MG, Volta Redonda/RJ, CENE/MS, Oeste, Cianorte/PR, Juventude

Novamente líderes tropeçam e Vasco entra na briga

Encerrada mais uma rodada do Brasileirão, os líderes novamente tropeçaram, e todos em 2×2.
 
O Timão, ainda na frente com 34 pontos, fez um primeiro tempo até que razoável, mas tentou segurar o 2×1 e se deu mal, levando o empate do Ceará, e ficou com o castigo.
 
O Flamengo, em Santa Catarina, abriu 2×0 no primeiro tempo, mas o Figueira foi forte e conseguiu o empate em 2×2. O Fla fica nos mesmos 34 do Timão.
 
O Tricolor tinha, assim como o Timão, uma missão teoricamente fácil, mas tropeçou em pleno Morumbi, no empate com o Furacão, onde foi salvo aos 45´ da etapa final, com gol de Rivaldo, indo aos 32 pts.
 
Assim, o grande vencedor da rodada foi o Vasco, que mesmo enfrentando dificuldades, bateu o Palmeiras por 1×0 e foi aos 30 pontos, deixando o rival verde com 27 no sexto lugar. Entre eles, o Botafogo, que virou, 4×2, sobre o América e foi aos 28 pts.
 
Na degola, o América ficou com 11. O Avaí que levou 0×5 do Cruzeiro, em Belô, fica com 13, mesma pontuação do Furacão. Essa rodada entra na degola o Galo, com 15 pontos, após a sacolada de 0×3 ante o Coxa em Curitiba. O Peixe, após a vexatória derrota por 0×2 para o Dragão, fica nos mesmos 15, mas com dois jogos a menos.
 
Completaram a rodada: Grêmio 2 x 1 Fluminense e Bahia 1 x 1 Inter, nos confrontos de domingo a noite e na zona intermediária.
.
CAMPEONATO BRASILEIRO – Outras séries
 
Série B: A Barcelusa meteu 3×2 no Sport na Ilha do Retiro e disparou na liderança. Outros destaques foram os jogos Vitória 5×2 Americana (que derrubou Toninho Cecílio) e Bragantino 5×3 Salgueiro, que tirou o time de Marcelo Veiga da degola.
 
O G-4 fecha com Lusa (36), Ponte (32), Paraná e Náutico (27). O Z-4 tem São Caetano (19), Icasa (18), Salgueiro (13) e Duque de Caxias (5). A diferença entre o primeiro fora do G-4, o ASA e o Guarani, o primeiro fora de degola, é de 5 pontos, o que mostra que 2 jogos podem levar equipes do céu ao inferno e vice versa.
.
Série C: Acabada o primeiro turno, os grupos fecharam assim (só os dois primeiros se classificam): 
A: Papão e Luverdense classificados e Araguaína na degola;
B: América/RN e Guarany/CE classificados e Campinense na degola;
C: Brasiliense e Ipatinga classificados, Marília na cola e Madureira na degola;
D: Joinville e Chapecoense classificados, Santo André muito mal, com apenas um ponto a mais que o Caxias, que é quem está na degola.
.
Série D: Os oito grupos da série D trariam os seguintes classificados:
A: Cuiabá e Penharol/AM;
B: Sampaio Corrêa e Comercial/PI;
C: Santa Cruz/PE e Alecrim;
D: Treze, do ex-são paulino Warley e Coruripe/AL;
E: Tupi/MG e Itumbiara, da segunda divisão goiana;
F: Villa Nova/MG, o único 100%, com 12 pontos e Volta Redonda, com 7 pontos a menos;
G: CENE e Oeste, com Mirassol na cola;
H: Cianorte/PR e Juventude.

Flamengo assume liderança do Brasileirão!

A rodada segue a tendência dos jogos equilibrados e com vitórias suadas, com algumas mudanças importantes na tabela.

O novo líder, Flamengo, bateu o Coxa por 1×0 no Engenhão lotado, e apesar do domínio paranaense no primeiro tempo, venceu com um gol no final da partida, suficiente para dar a liderança ao Mengão.

O Corinthians, ex-líder, pelo menos até pegar o seu freguês quase predileto, foi à Arena da Baixada. Tomou o gol quando estava melhor, e empatou no início da segunda etapa, em jogo equilibrado.

O Flamengo tem 33 pontos e o Corinthians com 32. O São Paulo, que foi à Florianópolis, levou um gol no começo do segundo tempo, mas teve forças e virou o jogo com dois gols de Cícero. Agora, chega a 31 pontos, e parece que a disputa segue para o trio acima.

O Vasco foi surpreendido no clássico carioca, e em jogo de um time só e com “sotaque uruguaio”, levou de 0×4 do Botafogo. Agora, o Vasco está em quarto, com 27, e o Fogão chega na briga pela Libertadores, com 25.

Entre eles, o Palmeiras, que ficou no 0×0, em jogo sofrível, contra o Grêmio no Canindé. O Verdão tem os mesmos 27 pontos do Vasco, mas perde a quarta posição nos critérios de desempate. O Tricolor gaúcho está a dois pontos da degola.

Por falar em degola, o Peixe é o último fora dela com 14 pontos, um a menos que o Grêmio, e bateu, com outra péssima atuação de PHG (corpo mole para ir embora?), o Ceará por mísero 1×0. Afinal, só Borges salva na ausência de Neymar.

Na degola, atrás deles, o Atlético/GO, que levou 1×2 do Bahia, fora de casa. Bahia que por sua vez abre 5 pontos do próprio Dragão. Após, Avaí, também com 13 e Atlético/PR com 12, que tiveram suas ascensões brecadas neste final de semana. Já quem subiu foi o  ainda lanterna América, que foi a 11 pontos, ao golear o Flu, por 3×0, no Ipatingão.

O Atlético/MG  estacionou no 15º ponto, ao levar 1×2 em casa do Figueira. Ainda pela zona da pasmaceira, Inter 3×2 Cruzeiro.

CAMPEONATO BRASILEIRO – Outras séries

Série B: Em rodada onde Ponte e Vitória se reabilitaram fora de casa, a Lusa se consolida na liderança e o Náutico no G-4, os quatro primeiros fecharam com a Lusa (33), seguida da Ponte, com 29. Náutico tem 26 e o Paraná 24. Mas para ter uma noção do equilíbrio, o décimo colocado está a apenas 3 pontos do G-4.

Na degola, Icasa, 17, São Caetano, 16, Salgueiro, 13 e Duque de Caxias, com apenas 4 pontos. O mesmo equilíbrio, pois o 11º colocado, está a 3 pontos da degola.

Série C: No grupo A, Papão e Luverdense estão na frente;no B, América de Natal (100%) e CRB estariam classificados hoje. No grupo C, na folga do Marília, Brasiliense e Ipatinga estão na ponta; fechando a classificação, no grupo D, o Santo André levou 0×2 do Joinville, em SC, e vê Brasil de Pelotas e Joinville dispararem, deixando claro que vai lutar contra a queda na série D.

Série D: Em 4 rodadas, poucos times seguem 100%: Coruripe/AL, no grupo 4 e Villa Nova/MG no grupo 6. No duelo paulista de hoje, Oeste 0×1 Mirassol, em Itápolis, e liderança mantida pelo CENE, mas com o Mirassol na cola.

Dos “tradicionais”, o Santa Cruz/PE, é segundo no seu grupo, o 3. O Juventude/RS, também é vice líder, mas do grupo 8.

Semana que vem, encerra-se o primeiro turno, da primeira fase, das séries C e D.

Corinthians perde e embola campeonato novamente

O Brasileirão está parecendo um RJ-SP de luxo, com domínio completo do eixo.

No sábado, o Cruzeiro jogou mal, como é comum dos times do papai Joel, e levou 0×1 em casa para o Fogão; no Rio, o normal Victor consolidou a vitória flamenguista e artilharia de R. Gaúcho, na vitória do vice líder Flamengo por 2×0. A noite, em partida empolgante, o Palmeiras bateu o Galo, no Canindé, por 3×2, e me fez refletir no porquê Dinei joga os noventa minutos, se nem as duas pernas ele tem…

O Corinthians, no domingo, perdeu pela tradicional tranquilidade, a oportunidade de fazer uns 3×0 na primeira etapa. Como o frágil Avaí acordou na segunda etapa, e a saída (pasmém!) de Danilo foram preponderantes para o péssimo segundo tempo, e a derrota por 2×3 na Ressacada.

No Morumbi, prof. Adilson “Pardal” Batista segue com seu aproveitamento bizarro no ano, na derrota de 0×2 para o Vasco. No primeiro tempo, o São Paulo, muito superior, martelou mas não fez. O castigo veio num segundo tempo pouco criativo, levando os gols nos contragolpes.

O Flu meteu 4×0 no Ceará, em casa; já o Inter não passou de um empate sem gols com o Dragão no RS, também sem espantar a má fase.

O Santos precisa se rearrumar para o Barcelona: saiu tomando 0×2 em 9 minutos do Brisinha, na Arena da Baixada, mas um belo gol de Neymar deixou a desvantagem menor no intervalo. O Peixe martelou e empatou, continuou pressionando, perdeu um gol incrível, Neymar apanhou muito e o juiz não marcou nada. Mas aos 42´, quando Muricy tirou Ibson e colocou o Marcio Araujo santista (Possebon, o péssimo) levou o terceiro num gol do Atlético, que voltou a ser Furacão, de cabeça com Marcinho “Meio Metro”, fechando o placar em 2×3. Bonita festa da torcida no final, um alívio bonito!

Fechando a rodada, América 1 x 3 Coritiba, em Minas e Bahia 3 x 1 Figueirense, na Bahia.

Assim, o G-4 fecha com três paulistas em um caricoa: Corinthians, Flamengo, São Paulo e  Palmeiras (28, 27, 25 e 25 pontos), sendo que Vasco e Botafogo seguem, com 24 e 22, no mini RJ-SP.

Já na degola a briga também é quente: Santos, Avaí, Atlético/PR e América (11, 10, 8 e 8 pontos)

CAMPEONATO BRASILEIRO – Outras séries

Série B: A “Barcelusa” meteu 3×0 no Ponte, em Campinas, abrindo 4 pontos na liderança, e 7 do quinto colocado. Outros destaques são a arrancada do Goiás e a fase complicada que vive o Vitória, ambos ainda na zona intermediárias. O G-4 fecha com Lusa, Ponte, Paraná e Náutico (30, 26, 24 e 23 pontos); na degola, Guarani, Bragantino, Salgueiro e Duque de Caxias (15, 15, 13 e 4 pontos). Reparem que a distância do 4º para o 17º é de apenas 8 pontos, ou seja, 3 rodadas do céu ao inferno, ou vice versa.

Um lance incomum no futebol profissional atual foi protagonizado pelo atacante Rildo, do Vitória, jogando a bola e depois tentando chutar o árbitro. Veja aqui o vídeo dos melhores momentos do jogo, e o lance com cerca de 4 minutos do vídeo rodado.

Série C: No grupo A, por enquanto (pois há jogo segunda-feira) Luverdense e Papão lideram e no B América de Natal e CRB encabeçam seus grupos. No grupo C, onde o Marília levou 1×4 do líder Ipatinga fora, o Brasiliense é vice líder; no D, onde o Ramalhão bateu o Caxias por 1×0, Chapecoense e Brasil de Pelotas seguem na frente.

Série D: Os destaques foram o Audax, da segunda divisão carioca, que fez 4×1 no São Mateus do ES, em São Mateus; a goleada que o CENE impôs ao Mirassol no MS, por 4×1 e a virada do Cianorte sobre o juventude no PR, 2×1. O Oeste folgou.

FÓRMULA UM

Novamente a chuva trouxe uma corrida empolgante, o GP da Hungria de F-1, com Button vencendo, Vettel e Alonso. Heidfeld, além de comer poeira de Petrov durante o ano, ainda pegou fogo… E para os críticos de Rubinho, ele sempre chega a frente de seu companheiro de equipe. Em comepnsação, Massa largou na frente de Alonso, a equipe não errou, e ele chegou quase 1 minuto depois. Alguma justificativa, defensores dele?

São Paulo, Palmeiras e Flamengo vacilam na rodada e derrota corintiana passa desapercebida

Na continuação da 11ª rodada, aberta por Avaí 1×3 Inter, os grandes postulantes a concorrentes do Timão, na briga pelo caneco, vacilaram feio, em casa.

O São Paulo, na estreia do Prof. Adilson “Pardal” Batista, decepcionou. Começou os dois tempos pressionando e fazendo gol, e cedeu o empate, num jogo cheio de marasmo, mesmo com Lucas em campo. E saiu vaiado.

O Flamengo, sem Ronaldinho e Thiago Neves, que assumiram forçar o terceiro amarelo, pelo Ceará ser um adversário frágil, ficou no 1×1 com o Vozão em Macaé.

Fecharam a rodada do sábado a primeira vitória do Furacão no torneio, 2×1 sobre o Botafogo, com dois gols de Morro Garcia, e o empate sem gols entre América e Figueirense, em MG.

Na rodada da tarde de domingo, o time operário do Palmeiras bem que tentou, foi melhor a maior parte do jogo, mas sucumbiu frente à boa ação das laterais do Fluminense: 0×1.

No Pacaembu, o Timão saiu levando 0×1 na primeira etapa, cometeu um pênalti bisonhamente não marcado e jogou o final da partida com um homem a mais. Mas mesmo assim, acabou perdendo do bom time do Cruzeiro.

Nos outros jogos do domingo, Atlético/MG 1×2 Vasco e Bahia 0×0 Coritiba.

Assim, a classificação do agora G-5 fecha com o Timão (28), São Paulo (22), Flamengo (21), Vasco já na Libertadores (20) e Palmeiras (19). A zona da degola tem Atlético/GO (9), América e Avaí (7) e Atlético/PR (5).

CAMPEONATO BRASILEIRO – Outras séries

Série B: A Lusa conseguiu um excelente resultado batendo o Vitória, em Salvador, e com o tropeço da Ponte em casa, contra o Braga, se consolidou na liderança. Assim, Lusa (26), Ponte e Paraná (23) e ABC (21) formam o G-4. Na degola, Icasa (13), Salgueiro (12), Guarani (9) e Duque de Caxias (4).

Série C: No grupo A, lideram Paysandu e Águia, ambos paraenses. No grupo B, América/RN e Guarany/CE estariam classificados. No C, Marília e Ipatinga. No D, onde o Santo André levou outra chapoletada, Chapecoense e Brasil de Pelotas.

Série D: Destaque para o campeão paraense, que fez 4×1 no Comercial/PI e a vitória do Bahia de Feira, fora de casa, 3×0 sobre o Vitória da Conquista. O Oeste venceu bem, em casa, o Cerâmica, do RS e lidera. O Mirassol folgou.

COPA AMÉRICA

A final inédita entre Uruguai x Paraguai não teve surpresas, e na verdade, foi um baile: 3×0 para a Celeste, com bela atuação do time que pressionou o tempo todo, com destaque para os atacantes Suárez e Forlán.

Assim, o Uruguai desempata a disputa com a Argentina, e tem 15 conquistas, contra 14 dos hermanos.

E justiça feita ao melhor time da América do Sul, desde a Copa do Mundo. Parabéns ao Uruguai!

FÓRMULA 1

Em grande prova, Lewis Hamilton levou o GP da Alemanha. Não que isso traga de volta a disputa pelo título, até porque Vettel (216) ainda tem grande vantagem sobre Webber (139), Hamilton (134) e Alonso (130), mesmo ficando pela primeira vez fora do pódio nessa temporada. Massa ficou em quinto, e Rubinho não completou a prova com problemas no motor.

Brasil eliminado da Copa América

O tempo normal foi um massacre. Mas é futebol, e não preciso dizer nenhum chavão…

Mas quando se fala em time, não acho certo caçar culpados, pois os times têm administração, geram lucros e prejuízos.

Mas na seleção brasileira sim… Afinal, ela representa a mim e a vocês que lêem, e outra: até tem gestão. Mas a #confederaçãobaderneiradefutebol só atrapalha.

Vamos aos culpados:

- Faltou humildade: no primeiro tempo, onde o Paraguai foi péssimo, sempre precisávamos dar um toque a mais.

- O goleiro paraguaio Villar teve um grande dia, reconhecido por ele mesmo como a melhor atuação de sua vida.

- Culpar o gramado é vergonhoso. O Paraguai corria em outra grama/areia?

- A dupla de volantes da seleção é vergonhosa. Lucas Leiva e Ramires não vão a lugar nenhum. O Corinthians tem uma dupla melhor: Ralf e Paulinho. O Brasil ainda tinha Elias. Mano não convocou Arouca não sei porque. Tem muito, mas muito volante melhor que eles.

- Não se pode criticar o futebol, pois as chances foram criadas e sofremos pouco com os contra-ataques. Mas as alterações de Mano Menezes foram muito ruins. Não apenas por tirar Neymar e Ganso, mas por tirar do Brasil o poder de criação. Depois da saída deles o jogo foi igual.

- Robinho, mesmo há tempos fora de posição, foi o melhor em campo. Mas ao lado dele, em muitos lances, esteve André Santos, na pior partida que o vi jogar.

- Culpar o árbitro por não punir exemplarmente os paraguaios também não justifica – arbitragem “a la mestre Anderson”: bate a vontade que não é falta…

- Torço pela aposentadoria de Julio Cesar e Lucio. Por favor! JC vai cuidar de sua esposa, e já que o Lucio ama tanto a seleção, arruma um cargo pra ele.

- Aguardo ansiosamente o Papo Do Fino sobre a relação com a seleção. Mas não aceito os fogos que ouvi depois do jogo. Não existe motivo para uma falta de caráter dessa. Torcer contra, com motivo, até aceito. Mas comemorar é mau caratismo.

Argentina x Uruguai: Messi joga sozinho. E não jogou no segundo tempo. Lamento pelo Brasil por isso. Não tinha adversário para nosso futebol. O Uruguai tem a chance de ganhar um título que não vê desde 95, quando bateu o Brasil nos pênaltis, pois tem uma seleção inteligentíssima e voluntariosa.

Colômbia x Peru: A Colômbia foi uma seleção que apresentou algo de bom na primeira fase. Rodallega esteve bem, mas sábado Falcão Garcia perdeu pênalti, e o Peru, mesmo sem Farfán e Pizarro, seus dois principais jogadores, fez 2×0.

Chile x Venezuela: A seleção chilena, o melhor futebol da Copa América, até aqui, começou levando 1×0. No segundo tempo, após a entrada de Valdívia, um massacre chileno até o empate em 1×1, quando sossegou, e num vacilo do fraco goleiro Bravo a Venezuela voltou a frente, fechando classificação histórica em 2×1.

As semifinais da estranha Copa América são: Uruguai x Peru (que vieram do grupo C) e Venezuela x Paraguai (que vieram do grupo B).

BRASILEIRÕES

Série A: No sábado, o mistão do Peixe fez 2×1 no falido Galo; Coritiba enfiou 3×1 no Flu, mal das pernas; Vasco dançou o vira, 2×1 pra cima do lanterna Furacão e o Dragão levou 0×1 do Avaí em casa. No domingo, o Ceará sapecou o América/MG: 4×0; o Cruzeiro vence o Bahia, 2×1 e o São Paulo, agora de Adilson Batista, surpreendeu o Inter, em Porto Alegre, 3×0. Corinthians, São Paulo, Flamengo e Palmeiras formam o G-4; o Z-4 é formado por Atlético/GO, Avaí, América e Atlético/PR.

Série B: A Ponte levou a melhor no dérbi campineiro (2×0) e segue firme na perseguição à Lusa, ambos com 23 pontos. Paraná, Americana (fechando o G-4) e ABC, seguem com 20. Lá embaixo, Icasa e Bragantino, com 12, Guarani com 9 e Duque de Caxias com apenas 3.

Série C: Começou nesta semana. Os paulistas começaram mal. O Marília empatou com o Macaé, em 2×2, fora de casa. O Santo André, no Bruno José Daniel, levou 2×3 do Brasil de Pelotas.

Série D: Começou com duelo entre campeões estaduais: Bahia de Feira 1×0 Ríver Plate/SE. A série D tem 3 times que jogam as segundas divisões de seus estados: o Sendas/RJ, o Cerâmica/RS e o Itumbiara/GO. Em contrapartida, o tradicional Remo/PA não se classificou. Dos paulistas, o Oeste chegou a abrir 3×1 contra o CENE, no MS, mas ficou no 3×3. O Mirassol venceu em casa, 1×0, o Operário/PR.

A cada rodada, G-4 fica mais embolado.

O Tricolor voltou a vencer. E sem Carpegiani e com Rivaldo convenceu. A vitória de 2×1 sobre o Cruzeiro, justa, mostra que Carpegiani não tinha o grupo, e que Rivaldo ainda tem alguma lenha para queimar. Na verdade, um alívio para a torcida são-paulina, que ainda torce para a escolha de um bom treinador para a continuação de 2011.

Em São Januário, ainda no sábado, com tranquilidade Vasco 2×0 Inter; no jogo do desespero, na Arena da Baixada, o Furacão pressionou na estreia de Renato Gaúcho, mas não saiu do zero com o Avaí.

No domingo, no Serra Dourada, com o mesmo futebol chato, burocrático e irritante, mas eficiente (como pregam os próprios jogadores que reconhecem a inferioridade técnica dentro das quatro linhas), o Timão fez 1×0 no Dragão, e mantém-se tranquilo na liderança do torneio. O time tem se mostrado muito aplicado e bem postado na marcação e segue acertadinho em busca do caneco.

Complementando o domingo a tarde, no clássico carioca, com uma arbitragem contestável, Flamengo 1×0 Fluminense; em Porto Alegre, o Grêmio fez 2×0 no Coxa e na Bahia, empate em 1×1 entre Bahia e Botafogo, pra variar com gol de Elkeson.

No clássico paulista da noite de domingo, o Palmeiras cuidou do Santos na primeira etapa, enfiando 3×0, com dois golaços, Maikon Leite e Patrik, além do segundo, marcado por Maurício Ramos. No segundo tempo, foi apenas administrar o resultado, controlando o mistão peixeiro.

Fechando a rodada, Figueirense e Ceará ficaram no 1×1 em Floripa; no clássico dos mineiros desesperados, melhor para o Galo, que venceu o Coelho por 2×0. Azar do Tricolor, pois Dorival Junior deve estar garantido mais uma semaninha por lá.

Assim, o G-4 fechou a rodada com Corinthians (22), Flamengo (18), São Paulo e  Palmeiras (18). O Z-4 fecha com Atlético/GO (8), América/MG (6), Avaí (4) e Atlético/PR (2).

Sobre Kleber, creio que PVC tenha credibilidade: “Kléber não está forçando a barra para sair. Força a barra para receber o aumento salarial que merece. E tem uma lesão. Os métodos seriam absolutamente reprováveis, não fosse o fato de a ressonância magnética realizada ontem à tarde confirmar um edema. Kléber tem lesão muscular de grau 2, daí ter se publicado aqui mesmo, na quarta-feira, que não jogaria nem contra o América, quinta-feira, nem contra o Santos, no domingo.”.

É a nova-velha diretoria verde, tentando acabar com o Palmeiras.

Série B: Mudanças no G-4, somente na ordem da classificação: Portuguesa, Ponte Preta e Americana têm 20 pontos, e o Paraná (que leva vantagem sobre os outros 4 com mesma pontuação) tem 17 pontos. No Z-4, Guarani, Icasa e Bragantino têm 9 pontos, e o Duque de Caxias apenas 3.

Copa América: Os “gigantes” têm passado maus bocados, mas o Brasil, que é o que nos importa, tem errado demais. Mano pede paciência, e ele até merece. Afinal, não se muda uma filosofia e um padrão sem tempo juntos. Mas essa Copa América, ou pelo menos chegar nas semifinais dela não pode passar pelo vão dos dedos. Acorda Brasil!

E no grupo A, a Colômbia já garantiu o primeiro lugar ao bater a Bolívia: 2×0.

Minuto F1: Finalmente Vettel perdeu! A Red Bull errou, e foi Alonso quem levou! Não que a emoção volte à competição, mas ao menos, algo diferente.

Asterisco 1: Incompetência, prepotência, arrogância. Esse é um resumo da eliminação brasileira após a disputa dos pênaltis para a seleção norte-americana. Daiane, autora de um gol contra a 1 minuto, perdeu o pênalti que decidiu a partida. Esteve durante 25 minutos do segundo tempo e mais toda a prorrogação com uma jogadora a mais. Brincou. Abusou de perder gols em um jogo fácil, mas muito fácil. E volta pra casa em um mundial que tinha tudo para ser nosso após a eliminação alemã. Agora, EUA x França e Japão x Suécia (que na minha concepção é a nova favorita) decidem o título.

Asterisco 2: O Mundial de Futebol sub-17 foi decidido por México (dono da casa) e Uruguai. A IV Copa do Mundo (México, Nigéria e Suiça foram os campeões anteriores) foi conquistada pelos mexicanos com a vitória por 2×0. O terceiro lugar ficou com a Alemanha, que derrotou os malinhas brasileiros por 4×3, após estarem perdendo por 1×3.

Asterisco 3: Na final da Liga Mundial de Vôlei, na Polônia, a seleção russa acabou com uma série de fracassos internacionais ao bater o Brasil por 3 sets a 2 na final da Liga Mundial. Assim, o Brasil não conseguiu seu décimo título da Liga.