Verdades sobre o fim do mundo e o calendário Maia

Muita coisa rola no universo que nunca sabemos, ou saberemos. Mas essa história do fim do mundo e do calendário Maia tá meio mal contada.

Assim, o Fino da Bola, com seu repórter Bronquinha decidiu investigar e descobriu muitas verdades sobre essa data.

Antes de mais nada, o calendário Maia não acaba no fim do mundo. O “fim do mundo” nada mais é que uma data numa mensagem subliminar. Até porque os mais, no seu calendário, não contemplavam aquelas 6 horas (arredondadas) responsáveis pelos anos bissextos. Assim, a programação deles estaria retardada, o que já desfundamentaria a data do final de ano de 2012.

Bom, mas isso não importa: por que o mundo acabaria em 2012? Como eu disse, os fatos ocorridos levam a isso, e mostram o fim dos tempos:

A cena inicial que marca o ano que não existiu: 2012!

- Aliança entre Lula e Maluf: primeira grande mostra do fim dos tempos. É como se Estados Unidos e União Soviética, em plena Guerra Fria decidissem criar um projeto conjunto de ônibus espacial. Coisa de maluco.

- Morte de Oscar Niemeyer: não é possível. Todos tínhamos quase certeza que ele era imortal!

- Título da Libertadores e do inédito Mundial Interclubes do Corinthians: esse é o sinal mais sintomático do fim do mundo. E tenho ligeira impressão que nos últimos minutos desta segunda-feira, 31 de dezembro de 2012, o ano de 2012 será apagado da memória de todas as pessoas, e o ano de 2012 será o ano que não existiu!

Glifos maias: “2012 será o ano que não existiu: dividirá a história do mundo.”

E o mais sério: está escrito nos glifos maias, como você pode ver acima! O próprio Schiavi é um enviado do deus maia do tempo, assim como Cássio!

Neymar, por exemplo, na eliminação santista na semifinal, estava enfeitiçado pela pedra maldita do Yucatán.

Diego Souza, nas quartas, teve segundos de cegueira por intermédio de espíritos de maias guatemaltecos.

E no Japão? Japão não foi tomada pela maré corintiana, e sim, pelos espíritos maias da divisão dos tempos de Chichén Itzá: cada um deles ocupou um torcedor corintiano e um jogador do Chelsea, paralisando-os.

Assim, o segredo foi decifrado: o mundo não acaba em 2012.

2012 é o ano que não existiu!

Leave a Reply

  

  

  

*